Artigo

POLÍCIA CIVIL DE GOIÁS


18/05/15

Amigos e amigas é com muito orgulho que estou aqui hoje presidindo esta sessão solene para homenagear a instituição Polícia Civil. A primeira casa que me acolheu como servidora pública e como delegada de polícia. Importante reconhecermos o valor da instituição, que  no dia a dia tem uma tarefa tão árdua no combate ao crime, e raros são os momentos de reconhecimento da sua importância no trabalho que desenvolve. Infelizmente a cultura que impera em nossa sociedade, não só no que diz respeito a Segurança Pública, não é de exaltar e valorizar o que é bom, o que é importante e necessário, mas de tentar desqualificar as instituições por fatos isolados, que não representam os princípios e nem o trabalho realizado no dia a dia. É por isto que estamos aqui hoje, para comemorar e exaltar não só a data, 09 de maio, dia do policial civil em Goiás, mas, sobretudo, exaltar as mulheres e homens que dignificam a instituição Polícia Civil.

O primeiro registro acerca da criação da Polícia no Estado de Goiás deu-se em 1858, através de Decreto do então Presidente da Província de Goiás, Dr. Januário da Gama Cerqueira, respaldado pelo Regulamento Imperial nº 120, de 31 de janeiro de 1842.  Em 1898, foi criada pela Lei nº185 a organização do serviço policial, que distinguia Força Pública,  de Companhia de Polícia, dando aí a primeira diferenciação entre as atribuições da Polícia Civil e da Polícia Militar.

A Polícia Civil hoje é composta de 3mil e 500 policiais  distribuídos em 17 delegacias regionais; 3 grupos especiais estratégicos: GT3, Antiroubo a banco e Antisequestro;  17 Grupos Especiais de Repressão a Narcóticos (GENARC); 17 grupos Especiais de Investigação de Homicídios – GIH e 1 Academia de Formação.

Mantêm  um Programa de prevenção às droga, chamado  Escola sem droga, que tem o objetivo de  conscientizar adolescentes e jovens sobre os malefícios que as drogas podem provocar no organismo e na vida das pessoas.  Criado em 1993 é composto de uma equipe de aproximadamente 100 voluntários. Desde a sua criação já alcançou aproximadamente 230 mil   pessoas.

A Academia de Polícia  atende mais de 4 mil policiais e servidores entre Policiais Civis, Militares, Bombeiros Militares, Agentes Prisionais, Guardas Civis, Ministério Público, por ano,  realizando um verdadeiro trabalho de integração entre as forças de segurança.

A Polícia Civil de Goiás é reconhecida em todo o país pela excelência na elucidação de crimes que ficaram conhecidos no Brasil inteiro, pela seriedade na condução dos trabalhos, pela eficiência na resolução deles.

Enquanto delegada de Polícia e primeira mulher a conduzir a Polícia Civil de Goiás, sempre tive a Polícia Civil como a minha segunda casa, a minha segunda família. Por onde passei busquei realizar um trabalho voltado para a valorização das pessoas, fossem elas os colegas que atuavam comigo, ou as que chegavam sofridas em busca de uma solução para os seus problemas, de alívio para o seu sofrimento.

Vejo o trabalho da Polícia Civil como um dos essenciais para a sociedade. Um balcão de serviços que precisa estar apto a atender as diversas demandas seja da mulher, do homem ou da criança pobre, seja do empresário, seja da educadora, seja de quem quer que for, devemos estar a postos com compromisso para realizar o melhor que sabemos fazer.

Hoje a Polícia Civil de Goiás tem novos desafios pela frente...

A principal característica hoje da Polícia Civil é ter um   quadro de profissionais, compostos de mulheres e homens com formação de nível superior, o que aponta para um novo perfil de policial, que baseia seu trabalho na investigação científica. Aliados a esta característica temos já prestes a ser inaugurada a  nova SEDE da Academia de Polícia  com uma estrutura arrojada e futurista que dimensiona o trabalho destes policiais.

 Escrivães, delegados, agentes de polícia, papiloscopistas e servidores administrativos compõem a sua estrutura. Cada um com suas atribuições é peça fundamental no trabalho de polícia judiciária, não tendo espaço para personalismos e nem corporativismo. Diante do atual quadro social, um dos desafios da Polícia Civil está em  preparar-se para o trabalho de excelência através de profissionais capacitados e uma academia pensada  e que está sendo estruturada para tal, superar o abismo que se instalou no trabalho entre seus pares.

Não há possibilidade de um trabalho de excelência se não houver um trabalho integrado, cada um reconheça a importância do outro, e portanto, respeitem e atuem em harmonia, em prol da sociedade.  Todos que integram a instituição Polícia Civil devem ter consciência da importância de seu trabalho e, portanto, não devem medir esforços, na perspectiva de superar as diferenças de cada categoria e atuar baseado no que é comum, o trabalho de Polícia Judiciária.

 Todas as ações bem sucedidas dentro da Polícia Civil vieram de trabalho desenvolvido em equipe, é por isto que hoje queremos homenagear não apenas este ou aquele policial, mas todos os policiais da instituição da Polícia Civil.

Outro desafio diz respeito ao local de trabalho do policial civil. Poucas são as delegacias no estado que atendem as necessidades básicas de trabalho digno e de atendimento a população. Viajando pelo estado enquanto estive a frente da Delegacia Geral e mais recentemente, durante a minha campanha para deputada estadual, pude constatar a improvisação de muitas delas sem local adequado para o trabalho policial, sem espaços diferenciados para o atendimento às vítimas e aos acusados. Uma realidade que se arrasta há anos, sem solução definitiva. A padronização das delegacias se faz necessário para dar dignidade ao trabalho dos policiais e às pessoas que recorrem às delegacias nos momentos mais difíceis de suas vidas. Por isto apresentei recentemente projeto de lei nesta casa, visando superar também este desafio.

Finalmente quero falar dos desafios que nos move todo dia a pensar em uma sociedade sem violência e que provoca as autoridades da área a pensar uma nova forma de fazer Segurança Pública. Muito tem se falado em unificação das polícias, do trabalho integrado, da política de valorização dos policiais através do cumprimento de um plano de carreira que contemple as especificidades de cada categoria. Sabemos que este não é um desafio relacionado apenas a Goiás, hoje o tema Segurança Pública está nas pautas de todos os governos estaduais e também do governo Federal. Este é um desafio de todos nós, buscarmos fazer a nossa parte, para que possamos superar o paradigma da vida com violência para um novo paradigma, o de viver em paz. Temos certeza que estes são desafios que todos nós temos que enfrentar.

Mas quero encerrar este meu discurso dizendo a cada policial civil aqui presente: Tenha orgulho de nossa instituição, trabalhe, dê o melhor de si, faça a diferença qualquer que seja o local que esteja trabalhando! E exija, não deixe nunca de lutar por mais recursos, por melhores salários, por melhores condições de trabalho. Não tenha vergonha de auto proclamar: somos competentes, somos compromissados, estamos a serviço da sociedade para realizar o melhor trabalho e dar o melhor de nós.

Viva a Polícia Civil de Goiás!

Parabéns Policiais Civis!

Leia outros artigos


^ ir para o topo | página inicial | contato


Email: contato@delegadaadrianaaccorsi.com.br
Assembléia Legislativa - Palácio Alfredo Nasser, Alameda dos Buritis, 231, Setor Oeste - Gabinete 32
Telefone: 62 3221 3205

© 2015 Deputada Estadual Delegada Adriana Accorsi. Todos os direitos reservados.