Artigo

Avisos fúnebres


11/03/17

Tramita no Congresso projeto de lei que altera as regras da aposentadoria. Mudanças na previdência não significam benefícios para os cidadãos. Neste projeto, a mudança significa que 90% dos brasileiros, correm o risco de morrerem sem se aposentar, pois no país a expectativa de vida da população varia entre 65 e 75 anos.

As reformas que estão em curso no Brasil acabam com os direitos adquiridos pelos trabalhadores, como a jornada de 40 horas semanais, o 13º salário, as férias e, principalmente, a aposentadoria digna para o povo brasileiro.

A aposentadoria é um direito de todos que contribuíram com a Previdência durante toda a vida. Agora o governo quer tirar esta garantia. Por que? A ideia é atender aos interesses das empresas de Previdência Privada e usar o dinheiro público beneficiando bancos e operadoras de telefonia.

A PEC 287 prevê a reforma da Previdência proposta pelo governo de Michel Temer quer acabar com as aposentadorias especiais de trabalhadores rurais, professores e policiais e extinguir o direito das mulheres, que exercem triplas jornadas de trabalho. As medidas contidas na reforma obrigarão os trabalhadores a contribuir pelo menos 49 anos e/ou terem 65 anos de idade para se aposentar. Assim, por exemplo, as mulheres trabalhadoras rurais, que começam a trabalhar duramente antes dos 14 anos terão que esperar a vida toda pela aposentadoria, enquanto o presidente Michel Temer se aposentou aos 50 anos.

Destaco a importância da aposentadoria para trabalhadoras e trabalhadores rurais que a lei sempre imputou dificuldades de provarem e garantirem seus direitos previdenciários. A aposentadoria especial de professores e policiais, tão justa em razão do desgaste físico e emocional, está na berlinda com a reforma em curso.

O governo congelou o investimento público em saúde e educação por 20 anos e agora quer retirar o direito à aposentadoria de milhares de brasileiras e brasileiros de descansar e ter uma melhor idade segura e com qualidade de vida.

Entendemos a necessidade de mudanças em nosso Sistema Previdenciário, como outros países já o fizeram, porém defendo que a reformulação precisa ser feita de forma democrática, ouvindo e discutindo com a sociedade organizada quais são as reivindicações dos trabalhadores, pois vivemos num país com expectativas de vida diferentes e não podemos permitir a extinção dos direitos conquistados.

 

Adriana Accorsi é delegada de polícia, deputada estadual (PT) e Presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás. 

Leia outros artigos


^ ir para o topo | página inicial | contato


Email: contato@delegadaadrianaaccorsi.com.br
Assembléia Legislativa - Palácio Alfredo Nasser, Alameda dos Buritis, 231, Setor Oeste - Gabinete 32
Telefone: 62 3221 3205

© 2015 Deputada Estadual Delegada Adriana Accorsi. Todos os direitos reservados.